Entrevista - O Surto
10/03/2003 - São Paulo - SP
O Portal do Rock tem o prazer de trazer para seus fiéis internautas, uma entrevista exclusiva e bem descontraída com a banda O Surto. No ano 2000 quando fizemos a primeira entrevista com eles, na festa de lançamento do CD TODO MUNDO DOIDO, em SP, a banda estava chegando com tudo na cena rock brasileira, produzidos pelo Rick Bonadio e tal. Fomos atrás da banda pra saber o que rolou com eles desde então.
Portal: O que aconteceu depois da explosão inicial dos hits A CERA e TUDO É POSSIVEL? O "surto" passou?
Bolo: Do CD TODO MUNDO DOIDO, ainda tivemos mais duas musicas na mídia, Zaroia e a Hempadura. Depois gravamos o CD EQUALIZANDO AS IDEIAS e a EMI só trabalhou a musica Veneno.
Gambá: Agora estamos gravando o terceiro CD ainda sem título, previsto para o primeiro semestre de 2003. Com certeza o surto não passou e vamos continuar surtando durante um bom tempo.
 
Portal: Vcs tiveram algumas mudanças na formação da banda que estava no primeiro CD. Como rolou isso e o que a banda ganhou e perdeu com estas mudanças?
Magrão: Na verdade toda a base do Surto mudou e seria impossível manter a mesma sonoridade da formação original. A nordestinidade continua com o Bolo, enquanto a sonoridade ficou mais pesada, com outras influências que cada novo integrante trouxe consigo.

 

Portal: Ainda lembrando nossa primeira entrevista, vcs disseram que curtiam muito bandas como Raimundos, Planet Hemp, O Rappa, bandas de Brasília e bandas menos conhecidas do circuito underground.Como estão estas influencias do som do Surto hoje? Quais as bandas nacionais da atualidade vcs destacariam?
Magrão: Pode acrescentar o Rodox, Tihuana, K9 e outras cositas do undergraund paulista.
Gambá: Ultimamente tenho escutado K9, Heiwa, Madra, Dabandeira, Rodox, Mr. Sombra, Lampironicos, White Frogs, Pânico X, Maskavo, Wu Clan Negro, Pracaniz e Rap Nacional.
Bolo: Sabotage, Megahertz, Mr.Sombra, Raimundos, Rodox, Wilson Sideral, Barão Vermelho, Kid Abelha e Paralamas.
Hilário: Pracaniz, Rodox, Oficina G3.

Portal: Nestes 2 anos desde o estouro da banda na mídia, como estão as coisas hoje em dia em termos de shows, venda de discos e carreira da banda como um todo? Vcs conseguem viver somente com o trampo da banda hoje em dia?
Gambá: A nova formação só tira grana com os shows. Com o lançamento do terceiro play, iremos começar a agradar mais e seremos recompensados.

Portal: Quais as principais lições vcs aprenderam nesta mudança de banda independente para banda assinada com uma grande gravadora? Quais toques vcs poderiam dar para as bandas que estão prestes a entrar neste processo?
Magrao: Obviamente, quando se assina com uma grande gravadora, as concessões aumentam na mesma proporção em que vc tem mordomias. Lógico que tudo depende da banda e da gravadora, mas acredito que há várias maneiras de se realizar profissionalmente, seja assinando com uma grande gravadora ou seja através de um selo independente, o que vale é não desistir nunca dos seus sonhos e acreditar na sua música.
Bolo: Para nós do Surto, gravadora sempre foi uma boa.

Portal: Quais os projetos de curto prazo que a banda deseja executar e quais os rumos traçados para vcs em 2003, inclusive de acordo com as expectativas da gravadora?
Bolo: Mudamos de escritório recentemente e estamos na pré-producão do próximo CD, mas acreditamos que teremos um ano muito cheio pela frente, com muitos shows pelo país e se possível lá fora também. O importante é que estamos adorando esta fase atual do Surto.

Portal: Mudando de assunto completamente, vamos falar um pouco de fãs, ou melhor das fãs.Como é o assédio do público feminino com vcs? Quem é o galã da banda? Falem sobre algum fato curioso e marcante envolvendo assédio de fãs.
Magrão: Por incrível que pareça os galas da banda são os nossos roadies, Paulinho Filhote, o Preto e nossos técnicos de som, Conde e Beia. Um fato curioso aconteceu uma vez em Minas Gerais quando o nosso baterista, Gambá, perguntou para as meninas que estavam no camarim depois do show, qtas tinham feito escova no cabelo. Depois que meia dúzia respondeu que tinham feito escova ele pegou algumas garrafas de água mineral e deu um banho em todo mundo que estava no camarim. Quem pode ser gala desse jeito...

 
Portal: Vamos apimentar um pouco a conversa. Qtas vezes pôr semana vcs fazem sexo? Alguma posição sexual preferida? O que é permitido entre quatro paredes e o que não pode rolar de forma alguma?
Gambá: 7 vezes por semana, posição preferida é o pingüim voador, pode rolar acessórios e não pode rolar a falta de camisinha.
Magrão: 1 vez por mês e olhe lá, posição preferida a que nunca tentei sem ser acrobática, pode rolar tudo menos fio terra.
Portal: Mudando de assunto de novo. Vcs acreditam que exista vida em outros planetas?
Bolo: Com certeza acreditamos. A maior prova que temos é o Gambá.
  Portal: E sobre a Internet? Abanda tem um site oficial? Qual o endereço e como é a relação dos integrantes da banda com a internet? Acham importante este espaço?
Magrão: Infelizmente não temos mais, mas eu pessoalmente passo o dia inteiro navegando, já que tenho banda larga em casa. A infinidade de informações que vc tem nas pontas dos dedos com a internet com certeza a torna uma ferramenta poderosíssima. Por enquanto para se comunicar conosco só por e-mail: jeanmigma@ibest.com.br ou rebecafaz@uol.com.br.
Portal: Alguma mensagem que queiram deixar para os fãs da banda, fiquem a vontade e valeu pela entrevista.
Gambá: Era uma vez um passarinho voando para o sul. Suas asas congelaram e ele caiu no pasto. Depois veio uma vaca e defecou em cima dele e suas asas descongelaram. Um gato apareceu, lambeu o passarinho, o limpou e o engoliu. Moral da história... Nem sempre quem joga merda na sua cabeça é seu inimigo e nem sempre quem te limpa e lambe é seu amigo.
Magrão: Este ano estamos com força total e podem ter certeza que daremos o melhor de nós para vcs que são o real motivo da existência do Surto.
Bolo: Obrigado a vcs do Portal do Rock pelo espaço e sucesso a todos.

Marcio Faveri - da redação
Arte por Daniel Calisto